A ERA DA SPAM NEWS – parte 1

Vivemos na era do SPAM, encontramos Stupid Pointless Annoying Messages em toda a parte, tendo vir a propagar-se dos meios digitais para a imprensa escrita e comunicação audiovisual (TV). Muitos pensam que o SPAM são os emails publicitários indesejados que recebemos, mas o jornalismo tornou-se no maior propagandista de mensagens com conteúdos Hoax, escritas com o intuito de alarmar ou iludir aqueles que a leem e instigar sua divulgação o mais rapidamente e para o maior número de pessoas possível, propaganda também e uma forma de spam usada para promover políticos, ideias ou empresas ou para denegrir, conforme o interesse dos grupos económicos onde estão inseridos. Outras formas de SPAM digital menos prejudiciais phishing, malware, Vírus, Worms, trojan, Scams, etc. já nem falamos do spam publicitário que costuma apresentar medicamentos sem prescrição, software pirata ou ilegal, diplomas universitários, oportunidades de enriquecimento rápido trabalhando em casa, apostas desportivas, etc.

Marketing Digital tem de saber lidar com estas tendências e fazer chegar a correcta mensagem ao consumidor moderno. Este por seu lado tem de trazer um captcha inserido no seu cérebro face à quantidade de SPAM com que é bombardeado diariamente… e não tenham dúvidas que vivemos uma SPAM WAR com consequências catastróficas a nível da saúde da economia livre e da civilização.

A estupidificação é geral e estaremos já viciados no spam? Como oferecer qualidade a um consumidor cada vez mais consciente? Está classificado como SPAM Ofensivo formas de comunicação que “Divulgam conteúdo agressivo e violento, como por exemplo acusações infundadas contra indivíduos específicos, defesa de ideologias extremistas, apologia à violência contra minorias, racismo, xenofobia e abuso sexual de menores.” Citando a Wikipedia. Vivemos na era do SPAM OFENSIVO motivado pelo envio em massa de mensagens perniciosas a um custo próximo de zero. Como sabem existem programas de software para estas practicas e que usamos para atingir os fins e objectivos que pretendemos. Pouco são os marketeers que não usam estas practicas imorais de mercado na estupidificação do consumidor, e uma das practicas mais comuns e o FEAR MARKETING. Este conceito a que demos o nome de FEAR MARKETING é bem conhecido por todos e podemos dar como exemplo o Racismo e o que temos vivido ultimamente na comunicação social e redes sociais.

Esta constante segmentação do medo em nichos de consumidores tem tudo haver com Marketing Digital e as ferramentas que usamos para as campanhas. Contudo a Mercurio33 actua de forma ética, na cyberseguranca, no marketing digital e no white hat hacking. Estes conteúdos de comunicação, estas mensagens de estratégias de medo, revolta, divisão, identificação, tribalismo, neuro marketing, big data, psicologia são meras manipulações de massa a todos os escravos consumidores na grande sanzala do voto.

Na Mercurio33 gostamos de libertar, educar, trazer ao cliente e ao consumidor os aspectos positivos, benefícios que tem determinado produto ou serviço, fidelizando e satisfazendo todos os stake holders. Conteúdos criados com ética, criatividade, inovação, melhoria da qualidade de vida, evitando o o tribalismo de conteúdos de comunicação propagandista, cuja fórmula continua, inexplicavelmente a mostrar resultados nos dias que correm, face a vulnerabilidade do consumidor no seu contexto ambiental, económico e social. Estas spam news, spam ofensivo e/ou spam publicitário é um alimento sem qualquer nutriente e com gordura saturada que comemos e engordamos mentalmente, criando cancros precoces no comportamento do consumidor e de toda a sociedade. Na realidade, é necessário melhorar a nutrição digital, a arte de cozinhar conteúdos que valorizem de forma saudável a sua mensagem, o cliente agradece e prolonga a vida de qualquer empresa.

  • Follow us: